51212 Atualizações no E-mail

Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

... DOGVILLE das análises / analysis by CD

... Alguém já viu um filme chamado Dogville?

... Entre os moradores de Dogville, o personagem principal é Thomas Edison Jr., um escritor que para protelar o dia em que terá que começar a escrever seu livro se ocupa em pregar sermões a toda a comunidade sobre rearmamento moral. Ele está procurando um exemplo para servir de ilustração às suas teorias e assim comprovar que os moradores não são capazes de aceitar novas situações, quando é interrompido por barulhos de tiros a distância.Nesse momento entra Grace, uma bela jovem com um vestido que denota sua origem de família rica. Ela diz a Tom que está fugindo de um gângster e Tom, percebendo nela o exemplo perfeito para sua palestra, lhe dá cobertura.Os moradores de Dogville a princípio recusam-se a aceitá-la, e Tom propõe que dêem a Grace um prazo de duas semanas, para então decidirem sua sorte. Grace, em compensação, deve ajudá-los em tarefas cotidianas. Apesar de não admitirem, eles jamais dão coisa alguma, não há generosidade ou aceitação: há um sistema de trocas e é esse sistema de compensações (o quid pro quo) que, aliado à personalidade de perdoar de Grace (seu altruísmo), anuncia a tragédia.Os moradores relutam até mesmo em aceitar a ajuda de Grace, mas acabam aceitando e Grace rapidamente começa a passar seus dias ocupada em fazer pequenas coisas que "não são necessárias", mas que os moradores "generosamente permitem" que ela faça. E assim passam-se as semanas, os moradores aceitam que Grace fique na vila, como mais um favor que ela ficará devendo a eles.Tom confessa a Grace que gosta dela e é correspondido, mas ele não assume publicamente seu amor perante Dogville, mantendo o romance deles secreto e mantendo Grace na condição de estrangeira.A aparente tranqüilidade da situação começa a mudar no dia daIndependência, quando a cidadezinha recebe a visita da polícia, que afixa um cartaz onde Grace é apontada como procurada.Os moradores de Dogville consideram ainda maior a dívida de Grace com eles, fazendo cada vez mais exigências, que diante da permissividade e comportamento passivo de Grace, rapidamente transformam-se em abusos. Uma cena forte do filme é quando Chuck a estupra, como "pagamento" para que ele não a denunciasse às autoridades. Aqui a função do cenário vazio é clara: a ausência de paredes dá a nítida percepção de que todos sabem o que se passa, mas fingem não ver.A comunicação também não parece ser possível para os moradores de Dogville. O que eles falam passa longe de significar o que realmente querem dizer. Quando questionados são evasivos, mudam de assunto ou simplesmente respondem outra coisa. Chuck fala de colheita de maçãs quando está querendo abusar sexualmente de Grace, e Ma Ginger reprime-a quando ela passa entre os arbustos, com argumentos que simplesmente não correspondem àquilo que ela diz.Desse ponto em diante a constante dívida de Grace com a comunidade só cresce e ela torna-se uma escrava não só de trabalho físico como sexual. Em pouco tempo a tratam como uma escrava, que puxa um arado, e ainda sofre abusos sexuais. Somente Tom, sem capacidade de tomar qualquer atitude, não a viola. E é após ela o rejeitar, que ele decide dar um basta nessa pequena metáfora ilustrativa que ela representa, chamando o gângster que a procurava.Nesse momento revela-se que Grace não está sendo ameaçada por eles, mas é a filha do chefe maior. Quando Grace entra no carro o diretor vai preparando a platéia para a ideia de que haverá um massacre. O final catártico faz com que Dogville apresente uma estrutura narrativa herdeira das tragédias gregas, onde a platéia era levada a uma situação de tensão insuportável e liberava a adrenalina contida no final trágico.Desde sempre, quase toda obra de arte é, em última instância, um retrato do ser humano. Lars von Trier faz um retrato de pessoas cruéis, mesquinhas, egoístas e arrogantes.Tom é um covarde, incapaz de assumir responsabilidade alguma (o drama de Grace começa no dia da Independência, quando ele não assume o romance com ela). Os habitantes da vila são seres humanos que se comportam de forma instintiva, guiados pelas suas necessidades físicas e seus próprios interesses.Grace jamais foi cativa ou submissa, nunca sentiu real misericórdia e sim desprezo. Se ela realmente quisesse, poderia simplesmente ir embora. Os verdadeiros prisioneiros são os moradores. No final o cachorro é poupado, porque só ele como animal tinha motivos pra ter algo contra grace: ela tinha roubado seu osso quando chegou faminta a¡na cidade.

... A lua iluminou as casas e derrepente toda a verdade estava sob os olhos de Grace. As pessoas fizeram o que podiam, o seu melhor. Mas seria isso bom o suficiente? Nao, nao era bom o suficiente. Ela precisava livrar a humanidade daquela cidade, porque se uma pessoa demonstrasse sua fraqueza pra ela (talves uma fraqueza falsa com oGrace demonstrou), teria as mesmas consequencias de Grace. Ela faria aquilo pela humanidade

... por CD amigo
====================================================================
====================================================================

... Has anyone ever seen a film called Dogville?


... Among the residents of Dogville, the main character is Thomas Edison Jr., a writer for postponing the day when they will start writing his book engages in preaching sermons to the entire community on moral rearmament. He is looking for an example to serve as an illustration to prove his theories and so that residents are not able to accept new situations, when it is interrupted by the sounds of gunfire distância.Nesse moment comes Grace, a beautiful young woman with a dress denoting their origin from a wealthy family. She tells Tom that is running away from a gangster and Tom, seeing in her the perfect example for his lecture, gives cobertura.Os residents of Dogville at first refused to accept it, and Tom proposes to give Grace a period of two weeks, and then decide their fate. Grace, in turn, should help them in everyday tasks. While not admitting they never give anything, no acceptance or generosity: there is a system of exchange and compensation system is that (the quid pro quo) which, together with the personality of Grace to forgive (their altruism), announces the tragédia.Os residents are reluctant even to accept the help of Grace, but Grace just accepting and quickly gets to spend his days busy in doing small things that "are not necessary" but that residents "generously allow" her to do. And so the weeks are up, residents accept that Grace stay in the village, more like a favor that she will be a must eles.Tom Grace confesses he likes her and is reciprocated, but he does not take your love publicly before Dogville, keeping their romance secret and keeping Grace provided estrangeira.A apparent tranquility of the situation begins to change daIndependência the day, when the town receives a visit from the police, posting a poster where Grace is appointed as procurada.Os residents of Dogville also consider greater debt of Grace with them, making increasingly demands that before the permittivity and passive behavior of Grace, quickly turn into abuse. A strong scene in the film is when the rapes Chuck as "payment" for him not to denounce the authorities. Here the function of the empty scenario is clear: the absence of walls gives the clear perception that everyone knows what is happening, but pretend not ver.A communication also does not seem possible for the residents of Dogville. What they say is far from meaning what they really mean. When questioned are elusive, change the subject or simply respond otherwise. Chuck talks about harvesting apples when looking sexually abusing Grace and Ma Ginger represses her when she goes in the bushes, with arguments that simply do not match what she diz.Desse point on the constant debt Grace with the community it just grows and becomes a slave not only physical and sexual labor. Soon treat her as a slave, pulling a plow, and still suffers sexual abuse. Only Tom, unable to take any action, not the guitar. And after she is rejected, he decides to put a stop to this small illustrative metaphor it represents, calling the gangster who procurava.Nesse the moment it is revealed that Grace is not being threatened by them, but is the daughter of the greatest chief. When Grace gets in the car the director will prepare the audience for the idea that there will be a massacre. The final cathartic makes Dogville submit a narrative structure heiress of Greek tragedies, where the audience was led to a situation of unbearable tension and releasing adrenaline trágico.Desde always contained at the end, almost every work of art is, ultimately, a portrait of a human being. Lars von Trier is a portrait of cruel, petty, selfish and arrogantes.Tom is a coward, unable to take any responsibility (the drama of Grace begins on Independence Day, when he takes the romance with her). The villagers are human beings who behave instinctively guided by their physical needs and their own interesses.Grace was ever captive or submissive, never felt real mercy but contempt. If she really wanted to, could simply leave. The real prisoners are locals. In the end the dog is spared because he alone as animal had reason to have something against grace: she had stolen his bone when he got hungry in the city ¡.


... The moon lit the houses and suddenly the whole truth was under the eyes of Grace. People did what they could, their best. But was it good enough? No, it was not good enough. She needed to rid mankind of that city, because if one person showed his weakness for her (perhaps a weakness with oGrace proved false), would have the same consequences of Grace. She would do it for humanity


by CD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

... AntiCristo ÔMEGA - Cristo ALPHA

... Uma coisa que acho errado em todos os livros que falam da mitologia do antiCristo, que está entidade seria literalmente algo igual o...