51212 Atualizações no E-mail

Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de junho de 2017

... ZOOTOPIA - Das análises

... “ Durante o filme eu comecei a perceber algumas semelhanças com teorias criminológicas que eu estudei.O filme fala muito dos estigmas e de como eles afetam a vivência em sociedade. A coelha é apontada como fraca e a raposa como traiçoeira. Esses etiquetamentos acabam por limitar o comportamento dos seus alvos, que passam a aceitar a figura que lhes é atribuída (a raposa, depois de ser taxada de trapaceira, acaba aceitando o rótulo e levando a vida aplicando golpes). Isso tudo é aprofundado pela teoria do Labeling Approach ou Teoria do Etiquetamento Social. É uma das teorias mais atuais da Criminologia.Outro teoria que o filme aborda, é a teoria positivista italiana, que tem como precursor Cesare Lombroso, um médico e criminologista que, no século XIX, desenvolveu a teoria de que certas pessoas são biologicamente impulsionadas ao cometimento de crimes, uma espécie de reaparecimento de genes dos antepassados, selvagens (atavismo). Aliás, esse é um dos objetos de estudo da criminologia: esclarecer o que leva alguém a cometer crime. Lombroso, buscando fundamentar essa teoria, analisou diversos presídios, percebendo as características físicas dos encarcerados, pra construir a imagem do delinquente. Disso, resultou o livro “O Homem Delinquente”, que informa algumas das caraterísticas físicas de pessoas que, biologicamente, estão voltadas para o crime, características predominantes de pessoas negras, como nariz largo, pele escura; um resultado óbvio, levando em conta que os presídios, naquele tempo e ainda hoje, são compostos, em sua maioria por pessoas negras (muito por questões raciais). No filme, os predadores, antes civilizados, começam a se tornar selvagens. A partir daí começa o estigma: a cidade se divide em predadores e presas, alguns predadores são demitidos, taxados de inferiores. Tudo não passava de um conhecimento com interesses políticos, que foi difundido para fazer dos predadores uma minoria. Por isso, é muito perigoso utilizar da medicina pra tentar explicar o crime, ou fazer associações biológicas aos criminosos, durante o século XX, houve muita antecipação punitiva por causa disso. Aqui uma imagem do livro de Lombroso, do que seria o delinquente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

... AntiCristo ÔMEGA - Cristo ALPHA

... Uma coisa que acho errado em todos os livros que falam da mitologia do antiCristo, que está entidade seria literalmente algo igual o...